Depois de ter sua própria identidade mais do que reconhecida e firmar sua proposta de praticar um menu que transita muito bem entre Espanha e Portugal, o restaurante Aragon, incorpora mais algumas novidades e sobretudo, acaba trazendo para sua cozinha também as famosas paellas valenciana e marinera (sem frango). Os novos pratos, que vieram se unir aos grandes sucessos, continuam sendo inspirados para agradar a gastronomia dos dois países.

Tudo ali combina. O ambiente é a exata expressão desse ‘espírito ibérico’, usado como assinatura do nome Aragon. Despojado, muito branco e azul, pé-direito alto, uma boa (e disputada) varanda, uma extensa carta de vinhos e os mais variados drinques são apenas alguns dos detalhes que garantem o sucesso do Aragon com um público bem diversificado. Se quiser estereotipar, num ambiente de total bom astral, a casa reúne em perfeita harmonia de ‘baby boomers’ aos jovens ‘millennials’, que podem estar ali para um jantar romântico, um almoço de negócios, um animado happy hour ou uma comemoração em família. A casa, inaugurada em outubro de 2014 por Rafael Rios e seu filho Fernando, mantém sua versatilidade em tudo.

Entre as opções de entradas, uma novidade imperdível: carpaccio de bacalhau com molho inspirado no molho ponzu (tradicional molho japonês à base de limão, sake e shoyu), porém mais emulsionado e mais espesso. O bacalhau tem sabor delicado e o molho, sem excesso, perde sua acidez pela adição de azeite. Equilíbrio perfeito. O tradicional gaspacho também foi incorporado ao cardápio.

O competentíssimo chef Ivanildo Oliveira, que está no Aragon desde a inauguração, agora prepara também uma esplêndida lagosta, ao melhor estilo ibérico. Grelhada no “char broiler,” em total simplicidade, é servida aberta, regada com um excelente azeite e acompanhada por batatas crocantes aromatizadas com açafrão. A porção tem duas caudas, carnudas e bem generosas. Total respeito aos principais detalhes: o sabor do grelhado, do azeite e, acima de tudo, da própria lagosta.

Mas,, mesmo empenhado em executar essas novidades, o chef Ivanildo continua preparando de modo impecável seu maior best-seller: uma excelente releitura do arroz de pato, clássico da cozinha lusa. No Aragon, a linguiça é curada e crocante; e ele é servido decorado com anéis de cebolas fritas. Outro prato tradicional da casa é a paleta de cordeiro que, depois de passar 24 horas marinando, ainda fica de 7 a 8 horas no forno. O prato serve tranquilamente três pessoas e as porções são separadas apenas com o auxílio de garfo e colher. É tão macia que os garçons não usam faca na hora de servir.

Para encerrar, outra sedução: os típicos churros. É a sobremesa mais pedida e vem acompanhada por um doce de leite bem leve para ser regado sobre os churros em forma de espiral, bem finos, como manda a tradição espanhola.

O Aragon atende sem interrupção desde a hora almoço. Nesse horário, além do menu à la carte, há um cardápio executivo diferente a cada dia, sempre com uma salada verde ou com copa, um prato quente com opção de peixe (R$ 48), carne (R$ 44) ou frango (R$ 38) mais um licor digestivo. Servidos a qualquer hora do dia e da noite, os bocaditos (sanduíches em pão especial) podem ser recheados de pernil ou cordeiro desfiados, além do clássico jamón ibérico.

Aragon – Alameda Ministro Rocha Azevedo, 1373, Jardim Europa, São Paulo – SP. Tel.: (11) 3085-1877

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here