Latin America’s 50 Best Restaurants: Central, do Peru, confirma soberania

D.O.M., de Alex Atala, sobe para terceiro lugar; Casa do Porco, de Jefferson Rueda, é premiado pela boa estreia

0
302

Em evento ocorrido na Cidade do México, foi anunciada a lista dos 50 melhores restaurantes da América Latina, o prêmio Latin America’s 50 Best Restaurants 2016. Foi o segundo ano em que a premiação ocorreu na capital mexicana. O patrocínio é da S. Pellegrino & Aqua Panna.

Como vem ocorrendo há alguns anos, houve domínio peruano no alto do pódio. Repetindo 2014 e 2015, a cozinha de visão contemporânea do chef Virgilo Martinez em seu restaurante Central, de Lima, arrebatou o primeiro lugar, seguido de outro conterrâneo – o imperdível Maido e a fusão nipo-peruana do chef Micha Tsumura. Outro peruano exponencial, Astrid y Gastón, do chef popstar Gastón Acurio, caiu da quarta para a sétima posição – Acurio também figura no 12º lugar, com o mundialmente famoso La Mar.

Brasileiros também fizeram bonito. Enquanto o D.O.M., do chef Alex Atala, saltou da quarta para a terceira colocação, o inovador A Casa do Porco, do chef Jefferson Rueda, inaugurado em 2015, estreou muito bem, na 24ª colocação, o que lhe valeu o prêmio Highest New Entry (algo como “a mais alta estréia”, na lista dos 50). Já o Maní, casa paulista do chef Daniel Redondo, ficou na oitava colocação. Destaque também para os brasileiros Olympe (Rio de Janeiro, 17º), Lasai (idem, 18º) e Sudbrak (25º), e ainda Mocotó (São Paulo, 28º), Re manso do Bosque (Belém, 44º) e Tuju (São Paulo, 45º).

Destaque também para o chef francês Claude Troisgross, do Olympe, contemplado com o The Diner’s Club Lifetime Achievement Award LatAm 2016, homenagem a sua longa carreira desde a chegada ao Brasil.

Três casas mexicanas, todas na capital, confirmaram-se novamente no top ten da lista: Pujol, no quinto lugar, Quintonil, em sexto, e Biko, o décimo colocado.

Para nós, só o fato de estar na lista, ao lado de chefs e restaurantes que sempre admiramos, é por si só motivo de orgulho e comemoração, pois sei que o Mocotó é um restaurante muito”, comemora Rodrigo Oliveira, chef restaurateur do Mocotó.

Presente à premiação, o chef não se furta a uma análise global. “Sei muito bem que o Mocotó é um restaurante peculiar. Estar no 50 Best mostra que a grande riqueza da cozinha latina é justamente sua diversidade”. E complementa: “Isso prova que a excelência pode ser mostrada de muitas maneiras”.

Mais informações: http://www.theworlds50best.com/latinamerica

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here