No último dia 23 de Julho, o Pirajá, um dos mais famosos bares do Brasil, inaugurou mais uma unidade na cidade de São Paulo. O local escolhido foi a esquina da Alameda Santos com Rua Peixoto Gomide.

Logo que se entra no bar o destaque fica para o amplo balcão onde são expostas as cachaças da carta – e de onde sai o chope geladinho – e para o painel de 2,60m x 1,65m feito em azulejos com a obra “Minha terra tem palmeiras onde canta o sabiá”, de 1984, da artista carioca Lia Mittarakis, adquirida junto ao Museu Internacional de Arte Naif do Rio de Janeiro.

O cardápio da nova casa também ganhou novidades. Entre os petiscos, mais um bolinho: o Gonzaguinha (R$28) é feito de carne de sol com pimenta Cambuci e Catupiry. Para acompanhar o chope gelado, o Camarão à Carioca (R$ 39), que traz camarãozinho seco curado ao alho e óleo com cebolinha, pimenta dedo de moça e limão cravo; já o Parmê (R$ 43) é o clássico bife à parmegiana em versão aperitivo. Típica no Rio de Janeiro, a alheira ganha sua versão espetinho no Alheira no Palito (R$ 23) e são acompanhadas de jiló à vinagrete.

A casa ainda tem carta com 20 rótulos cachaças de destilarias do Rio de Janeiro e mais 13 rótulos garimpados em outros estados. Entre as branquinhas produzidas no Rio, estão a Petisco da Vila Ouro, uma cachaça do botequim Petisco da Vila, berço da boemia de Noel Rosa, a Maria Izabel (R$ 28), de Paraty, envelhecida em Jequitibá por três meses, e a Da Quinta Amburana (R$ 18,50), de Carmo, que repousa por 12 meses em tonéis de Amburana. A Cachaça Pirajá Santo Grau, blend exclusivo produzido em Paraty, continua como ótima base para as caipirinhas especiais do bar como A Nega é Minha e Ninguém Tasca (R$ 21), clássica do Pirajá feita com rapadura mineira e limões Tahiti e Siciliano.

Serviço: Bar Pirajá – Al. Santos 1.737, esquina com Peixoto Gomide – Jardim Paulista – São Paulo – Telefone: (11) 2679-4162

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA