Rioja Tintos – Novos desafios

0
3134

A mais célebre das regiões espanholas sofre concorrência das vizinhas, mas se sai bem. Testamos 36 dos melhores vinhos da apelação, com o preço limite de R$ 200 por rótulo
Por Guilherme Rodrigues
Fotos Luiz Henrique Mendes

Sem dúvida alguma, a Rioja é a mais célebre região espanhola para vinhos tintos. Quanto a ser a melhor, há controvérsias. Afinal, tem sofrido renhida concorrência da vizinha Ribera del Duero e do mais distante e mediterrânico Priorato. Seja como for, aparenta ir vencendo esses desafios, dadas suas características singulares e privilegiadas. Uma delas é o estágio, tempo em que os vinhos passam por barris de madeira antes de serem engarrafados. Nos melhores vinhos riojanos, ele é prolongado; fonte do sucesso e personalidade única. Saem vinhos bem vincados à madeira, notadamente quando se emprega com maior proporção o carvalho americano, influência que no caso é benéfica.

A Tempranillo, casta que domina largamente os cortes, adapta-se como nenhuma outra a esse processo. Uma tendência atual, sem desfigurar a tipicidade dos vinhos, tem sido atenuar um pouco a marca da madeira. Nos rótulos mais simples e jovens, a busca pelo frutado franco e jovial, com o carvalho imprimindo um tempero bem suave ou mesmo nenhum, tem sido a tendência.

Esse casamento frutifica muito bem. Sobre uma base rica de fruta bem madura, às vezes até confeitada, mas com requinte, desmancham-se aromas e sabores a especiarias (cravo, canela, baunilha e noz-moscada), torrefação (café, cacau, tostados), com nuanças balsâmicas e à caça, bem civilizadas. Os melhores vinhos são intensos e encorpados, fluídos e elegantes. Costumam ter uma acidez vivaz, nervosa, e ao mesmo tempo profunda. Muitas vezes aparece um delicioso terroso e mineral. São tintos perfeitos para o frio e para as carnes vermelhas e de caça.

La Rioja é região muito antiga, com registros de cultivo de uva e vinho ainda no século 9. Tem clima continental. Fica logo ao sul do limite da costa norte da Espanha, onde o verdejante País Basco encontra a França. É protegida dos ventos do mar pela Serra Cantábrica, tornando seu clima mais seco. Espraia-se através do Vale do Rio Ebro. As zonas elevadas são mais nobres, para vinhos mais complexos, constituindo a Rioja Alta e a Rioja Alavesa. Mais rio abaixo, para junto de Navarra, surge a Rioja Baixa, já com ares mediterrânicos, resultando em vinhos bem frutados, de mais maturação e mais álcool.

Além da Tempranillo, utilizam-se as castas tintas Graciano, Mazuelo e Garnacha Tinta, sendo usual a primeira em maior proporção, em geral acima de 60% do blend. Conforme a qualidade dos vinhos, os produtores podem lhes dar mais ou menos tempo de estágio em madeira e nas caves — mais ou menos “crianza”, como dizem os espanhóis. Vinhos superiores são aptos a estagiar por mais tempo, ao contrário dos mais simples. O Consejo Regulador da Denominção de Origem é o órgão oficial que estabelece, classifica e fiscaliza os tipos de vinhos. Atesta as garrafas através da aposição de um selo de origem. Conforme o estágio podem ser denominados: a) Rioja, simplesmente, menos de um ano de estágio em barris; b) Crianza, pelo menos dois anos de estágio, sendo ao menos seis meses em barris; b) Reserva, pelo menos três anos de estágio, e um ao menos em barris; d) Gran Reserva, pelo menos dois anos em barris e três em estágio.

Testamos para os leitores 36 dos melhores Riojas existentes no mercado até o preço limite de R$ 200. Mostraram-se muito atraentes, com uma personalidade própria e estimulante — refúgio seguro de diversidade qualificada. A prova se realizou no restaurante North Grill do Shopping Frei Caneca, em São Paulo (R. Frei Caneca, 569, 3º piso, tel.: 11 3472-2038). Foi conduzida às cegas, em copos padrão degustação. Mas três amostras estavam com defeito de garrafa, e, portanto, não serão mencionadas nas notas a seguir. Além deste redator, participaram da degustação técnica os abalizados provadores de GOSTO: Alexandre Rodrigues, Alexandre Bronzato, José Maria Santana e José Ruy Sampaio. Esteve presente o diretor de redação de GOSTO, jornalista J.A. Dias Lopes. Após os serviços, os presentes puderam saborear os belos assados da grelha do North Grill, primorosamente preparados pelo assador Martino Delau dos Santos. O serviço foi coordenado pelo competente sommelier Eriomar Novaes.

SEM COMENTÁRIOS