Por Alessandra Sayers

O antigo prédio Banespa – e, agora, o recém inaugurado Farol Santander – continua oferecendo, do alto de seus 162 metros de altura, uma vista ímpar da cidade. No edifício, é possível visualizar a majestosa Serra do Mar, o imponente Pico do Jaraguá, os prédios da icônica Avenida Paulista e diversas construções do centro da cidade, como o lindo Mosteiro de São Bento.

Além da tradicional vista panorâmica de 360º que tira o fôlego, o novo projeto apresenta uma série de atividades divididas em três grupos de andares: Memória, Experiências e Exposições.

Do passado ao presente

Comecei minha visita no 1º andar, pelo hall do edifício. Já na entrada, me deparei com um imenso lustre de treze metros de altura e que chega a pesar 1,5 toneladas. Quando está aceso, é um show à parte de tão belo! Aqui também está localizada a bilheteria, mas recomendo a compra antecipada de ingressos via internet http://bit.ly/farolsantander (para que você não corra o risco de perder a viagem).

Com ingresso em mãos, minha primeira parada foi na exposição “Arte e Sucata” por Marcelo Stefanovicz. Com a fartura de sucata e materiais típicos de prédios desativados, coube a Marcelo usar a criatividade e transformá-los em objetos do dia a dia, como cadeiras, bancos e luminárias. Chega a ser impressionante e estimulante o trabalho do artista! Fiquei com vontade de levar para a casa a cadeira feita de tubos e canos de metais. Politicamente correta e irreverente, chamaria a atenção em qualquer ambiente.

A próxima parada oferece um banho de história aliado a design. Nos 2º, 3º e 5º andares, respectivamente, aprendi um pouco mais sobre a história da cidade, a trajetória do nosso dinheiro – que vai dos réis aos reais – e, o que para mim foi a cereja do bolo, conheci a sala da presidência!

Exposição “Arte e Sucata” por Marcelo Stefanovicz

Sempre tive muita curiosidade em conhecer o escritório do presidente de um banco e este não decepciona, pois vem recheado de personalidade. As salas preservam sua composição original, os móveis são de jacarandá, os lustres da década de 50 e a exposição possui um dos maiores conjuntos de móveis de luxo produzidos sob encomenda após a 2º Guerra Mundial. Os móveis foram feitos pelo escritório Liceu de Artes e Ofício. Imperdível para quem gosta de história, arquitetura e design!

Após esta imersão no universo bancário, chegou a hora de conferir um dos meus artistas favoritos: Vik Muniz. No 4ª andar, é possível conferir a homenagem que o artista paulistano fez à cidade. Ele, que na infância costumava passear com a mãe pelas redondezas do edifício, desenvolveu painéis com a imagem da vista de todo o entorno do prédio. Para isso, utilizou material reciclado (uma de suas principais características) da reforma. São, ao todo, dez painéis feitos com 10 toneladas de sucata. Não perca!

Pausa para um café… e algo mais

Após vários andares, chegou a hora de apreciar a melhor vista, a do famoso mirante no 26ª andar, e se deliciar com as guloseimas que a unidade do Café Suplicy oferece. O Café do 26, como é chamado, apresenta um lindo salão de art déco, inspirado no de 1947. Os uniformes e o enxoval acompanham a época e são de encher os olhos. Aqui serve-se de tudo: apenas um café, almoços, jantares, lanches rápidos.

Minha dica mais valiosa é o brunch servido aos fins de semana! Por R$65, você desfrutará do minibrunch, que é composto por iogurte caseiro, granola artesanal, salada de frutas, ovos, pães de fermentação natural e panquecas. Se a fome ou a gula forem maiores, vá de brunch completo (R$85), e ainda se delicie com blinis, donut de pato desfiado com chutney de abacaxi e manga e ostras da cananéia!

A gente não quer só comida

No setor de arte, o 22º e o 23º andares abrigarão sempre dois profissionais, um nacional e o outro estrangeiro, que abordarão um mesmo tema em temporadas de quatro meses. Na estreia, o Farol apresentou uma reflexão sobre paisagens. Os russos do coletivo Tundra apresentam a instalação The Day We Left Field. No piso inferior, a paulistana Laura Vinci montou a instalação Diurna. Com as janelas abertas, são projetadas sombras de árvores nas paredes e foram espalhadas pela sala 150 folhas fundidas em latão e banhadas em ouro.

Pista de skate

Um pouco de aventura

No 21º andar, foi instalada uma pista de skate projetada pelo multicampeão da atividade, Bob Bunsquist. Aqui é possível andar na pista por R$ 30, fazer aulas com professores por R$ 120 ou somente assistir às performances.

Já viajei bastante, conheci vários museus em diversos países, mas sinceramente nunca havia pensado em me hospedar em nenhum deles. Pois é mais ou menos assim que eu me sentiria se ficasse hospedada no loft do 25. Localizado no 25º andar, ests loft de 400m², pé direito alto e uma vista privilegiada da cidade, comporta até cinco pessoas. A diária custa R$4.000 e o espaço também pode ser alugado para eventos.

FAROL SANTANDER – Rua João Brícola, 24, Centro, São Paulo – SP.

Horário de funcionamento: Ter. a dom., 9h às 20h.

Ingressos: R$ 17a R$ 20.

Mais informações: www.farolsantander.com.br

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here